Arquivos

Posts Tagged ‘vacinas recomendadas no idoso.’

Vacinas no idoso

As vacinas de vírus vivos atenuadas podem estar contra indicadas apenas se existir imunodeficiências.
A vacina contra febre amarela deve ser evitada em pessoas com mais de 70 anos.
As vacinas inativas podem ser aplicadas com segurança.

Vacina contra influenza (gripe)
A gripe não complicada é autolimitada e curada espontaneamente em uma semana. Esta pode-se disseminar rapidamente nos surtos, sendo responsável por elevada morbimortalidade em grupos vulneráveis como idosos institucionalizados e portadores de doenças crônicas, causando pneumonia viral, bacteriana ou mista, exacerbação de doença pulmonar ou cardíaca crônica e até mesmo óbito.
É recomendada uma dose única anual; esta poderia levar a uma redução da mortalidade em até 50% nesta população.

Vacinas pneumocócicas
O pneumococo é o principal agente etiológico de pneumonia em idosos, sendo os portadores de doenças crônicas, os mais vulneráveis para esta infecção. O pneumococo pode causar meningite, bacteremia, pneumonia, otite média e sinusite.
A vacina disponível no Brasil é a vacina pneumocócica polissacarídica 23 valente (VPP23V). Se recomenda uma única dose, com uma única revacinação depois de 5 anos.
A vacina pneumocócica conjugada 13 valente (VPC13V) é a vacina usada nos Estados Unidos e Europa, esta é mais imunogênica e dá cobertura para o 65,6% dos sorotipos que causam doenças invasivas nesta população.

Vacina tríplice bacteriana. (difteria,tétano e coqueluche- dTpa).
É recomendada para todos os idosos. A tríplice bacteriana tipo adulto deve ser preferida no lugar da vacina dupla.
Os idosos que tomaram 3 doses de vacina deverão tomar reforço a cada 10 anos; enquanto que os idosos com esquema incompleto (2 doses ou menos) devem receber as doses que faltam, sendo uma das doses a vacina tríplice acelular do adulto.
Os idosos não imunizados ou sem história conhecida devem receber o esquema completo de 3 doses, sendo uma delas a vacina tríplice acelular do adulto.

Herpes- zóster
É recomendada uma única dose para maiores de 60 anos. Trata- se de uma vacina atenuada, diferente das três vacinas anteriores que são inativas. Está contra indicada nos pacientes com imunodeficiências. Sabe-se que 50% das pessoas que vivem até os 85 anos desenvolverão herpes-zóster . Esta vacina não se encontra disponível no Brasil.

Vacinas no idoso

As vacinas de vírus vivos atenuadas podem estar contra indicadas apenas se existir imunodeficiências.
A vacina contra febre amarela deve ser evitada em pessoas com mais de 70 anos.
As vacinas inativas podem ser aplicadas com segurança.

Vacina contra influenza (gripe)
A gripe não complicada é autolimitada e curada espontaneamente em uma semana. Esta pode-se disseminar rapidamente nos surtos, sendo responsável por elevada morbimortalidade em grupos vulneráveis como idosos institucionalizados e portadores de doenças crônicas, causando pneumonia viral, bacteriana ou mista, exacerbação de doença pulmonar ou cardíaca crônica e até mesmo óbito.
É recomendada uma dose única anual; esta poderia levar a uma redução da mortalidade em até 50% nesta população.

Vacinas pneumocócicas
O pneumococo é o principal agente etiológico de pneumonia em idosos, sendo os portadores de doenças crônicas, os mais vulneráveis para esta infecção. O pneumococo pode causar meningite, bacteremia, pneumonia, otite média e sinusite.
A vacina disponível no Brasil é a vacina pneumocócica polissacarídica 23 valente (VPP23V). Se recomenda uma única dose, com uma única revacinação depois de 5 anos.
A vacina pneumocócica conjugada 13 valente (VPC13V) é a vacina usada nos Estados Unidos e Europa, esta é mais imunogênica e dá cobertura para o 65,6% dos sorotipos que causam doenças invasivas nesta população.

Vacina tríplice bacteriana. (difteria,tétano e coqueluche- dTpa).
É recomendada para todos os idosos. A tríplice bacteriana tipo adulto deve ser preferida no lugar da vacina dupla.
Os idosos que tomaram 3 doses de vacina deverão tomar reforço a cada 10 anos; enquanto que os idosos com esquema incompleto (2 doses ou menos) devem receber as doses que faltam, sendo uma das doses a vacina tríplice acelular do adulto.
Os idosos não imunizados ou sem história conhecida devem receber o esquema completo de 3 doses, sendo uma delas a vacina tríplice acelular do adulto.

Herpes- zóster
É recomendada uma única dose para maiores de 60 anos. Trata- se de uma vacina atenuada, diferente das três vacinas anteriores que são inativas. Está contra indicada nos pacientes com imunodeficiências. Sabe-se que 50% das pessoas que vivem até os 85 anos desenvolverão herpes-zóster . Esta vacina não se encontra disponível no Brasil.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.